Como contratar um freelancer?

Precisando contratar um freelancer? Saiba como encontrar, analisar e contratar um profissional freelance para o seu projeto.

Agora que você se decidiu entre contratar um freelancer ou uma agência e optou em contratar um freelancer, a dúvida mais óbvia é: Como contratar um freelancer? Afinal, é muito mais fácil confiar em uma agência, já que ela tem o status de “empresa”, do que em uma pessoa que provavelmente você nunca verá pessoalmente ou talvez nem conversará pelo telefone.

» Siga-me no twitter e assine a newsletter para ler mais novidades!

Onde encontrar um freelancer?

lupa - busca

"Onde" é fácil... mas e como? (foto: SXC)

Bom, alguns minutos no google já bastam para encontrar uma lista com profissionais que você está procurando. Mas só isso não é o bastante para confiar nos mesmos, é claro.

Indicações de amigos ou colegas próximos são uma boa fonte de confiança, mas também não é o bastante. Você também pode encontrá-los a partir de suas assinaturas, que normalmente ficam no rodapé dos sites, caso você esteja à procura de um profissional web designer.

Independente do meio que você usou para encontrar um freelancer, leve os seguintes pontos em consideração:

Como escolher um freelancer?

notebook - mão

Antes de contratar um freelancer, "conheça-o". (foto: SXC)

  • O profissional conta com um portfolio? Os trabalhos atendem às suas necessidades? Lembre-se sempre de ler a descrição de cada trabalho, já que alguns profissionais de web design, por exemplo, divulgam trabalhos que eles não criaram o design, mas apenas fizeram o código dos mesmos – ou seja, se você busca por um encanador, ter só a água não basta. E aparentemente essa comparação foi vaga e desnecessária, mas acho que o exemplo foi bom;
  • Mais uma vez, analise bem os trabalhos prestados. Veja o currículo do profissional e bata com aquela listinha que você fez ao ler o início do post sobre freelancers e agências (e se você ainda não leu esse post, leia antes de prosseguir);
  • Busque saber o que estão falando sobre este profissional tanto no google quanto em mídias sociais (busque pelo nome, pelo endereço do site e o que mais for possível). Recomendo a ferramenta Social Mention para buscar nas mídias sociais. Vale frisar que depoimentos de clientes no site do profissional não são lá confiáveis, já que podem ter sido inventados. Isso seria extremamente antiético, inclusive;
  • Se algum amigo ou colega lhe indicou esse profissional, ótimo! Já é uma boa forma de se confiar. Mas, ainda assim, vale a pena fazer a análise acima;
  • Outro ponto interessante de se analisar é se alguns projetos que você conhece tiveram a mão desse profissional. Por exemplo, se você busca por um web designer e descobriu que alguns sites e blogs que você frequenta foi ele quem criou, experimente entrar em contato com os donos dos mesmos pedindo uma opinião sobre o profissional;
  • Faça o que mais lhe vier em mente para adquirir confiança, afinal, trabalhar com desconfianças não é só desconfortável, mas PROIBIDO. Um relacionamento bom entre cliente e prestador de serviço rende um trabalho muito bom.

Analisando trabalhos anteriores

Este ponto é tão importante que merece um tópico mais detalhado, afinal, gostar de alguns trabalhos de profissional X não significa que ele é o freelancer certo para você contratar.

Como eu disse acima, alguns profissionais de web design divulgam trabalhos pelos quais eles não foram 100% responsáveis por toda a criação e desenvolvimento. Às vezes ele só fez o design, e não as ferramentas; às vezes foi o contrário – recebeu o design pronto e só fez o site funcionar; e algumas vezes você vai encontrar profissionais que divulgam alguns trabalhos se intitulando como diretores de arte por terem falado “muda a cor daquele botão” – é um risco que se corre, por isso eu reforço muito a busca por referências de clientes anteriores. Dê uma atenção especial às descrições dos projetos.

Analisando opiniões

Ao contratar um freelancer, mais um ponto que merece um detalhamento melhor: se algumas pessoas gostam dos trabalhos do profissional X, também não significa que ele é o freelancer certo para você contratar.

Corra atrás da opinião dos clientes, e aqui vão algumas questões que você pode perguntar (só tome cuidado para não abusar, pergunte apenas o que você achar necessário):

  • O profissional cumpriu os prazos?
  • Fez um bom atendimento?
  • Atendeu bem às expectativas durante a criação e desenvolvimento do projeto?
  • Mostrou-se flexível em relação às suas opiniões?
  • Ajudou com sugestões ou simplesmente fez o que você pediu?
  • Em relação ao preço, o que você achou? (Obs: Nunca, mas NUNCA pergunte quanto foi o serviço prestado, pois além de ser desconfortável para o cliente, pode te gerar falsas expectativas, já que os preços podem variar bastante. Aguarde pelo SEU orçamento!)
  • De um modo geral, que nota você daria para o profissional?

Quanto custa?

calculadora - gastos ao contratar um freelancer

Antes de contratar um freelancer, é claro, peça um orçamento. (foto: SXC)

Repito: Nunca, mas NUNCA pergunte quanto foi o serviço prestado. Por experiência própria, já tive casos em que, no final de um orçamento, um cliente resmungou “Mas você cobrou X pelo trabalho do Fulano, por que esse preço pra mim?” – os preços variam, e só um profissional consegue enxergar detalhes que parecem minúsculos aos olhos de um usuário comum, mas que dão um trabalho enorme para o prestador de serviços.

A dica final é: Nunca aja por impulso por conta do preço. Além da confiança, você precisa analisar se aquele profissional é bom o bastante para as suas necessidades, acima de tudo. O barato sai caro? Muitas vezes sim, e, mais uma vez, posso dizer por experiência própria que já vi acontecer e já peguei alguns trabalhos que tinham acabado de ser feitos por outros profissionais, mas que o cliente não ficou satisfeito o bastante e acabou procurando por outro profissional.

Sim, não dá para prever que tudo dará certo com o profissional X ou Y, por isso o mínimo que deve ser feito é analisar os pontos supracitados. O preço é um mero detalhe, e antes de usar o argumento de que “a grana está curta” você deve ter certeza de que não está jogando a mesma fora.

Como contratar um freelancer?

árvores

Freelancer e cliente: Dois parceiros que certamente crescerão juntos. (foto: SXC)

A tarefa não é fácil, mas para tudo que compramos (ou pelo menos a maioria do que a gente compra) levamos um tempão analisando detalhes e comparando semelhantes, certo? Então, basta ter paciência, não agir por impulso e não ter medo de perguntar – afinal, se você está procurando alguém para fazer alguma coisa, é porque você não sabe de tudo. E o profissional de verdade faz um bom atendimento e não deixa nenhuma dúvida no vácuo.

E aí, tem algo a adicionar? Sinta-se à vontade nos comentários! E se você caiu aqui procurando por um freelancer, e quer, de fato, contratar um freelancer, pode ficar à vontade para ver meu currículo e meu portfolio – ah, e ao buscar por meu nome no Google, não se enganem: Eu não sou aquele cantor gospel.