Crie o portfolio perfeito

Confira ótimas dicas, referências e entrevistas para criar seu portfolio perfeito para atrair clientes ou conseguir um emprego.

Faz tempo que eu não atualizo o blog, é verdade – porém, tudo o que eu escrevi sobre a criação de um portfolio continua atual, e apesar de eu ainda não ter feito a quantidade de posts que o tema merece, essa semana o assunto fugiu da web e foi parar da 147ª edição da Revista W, com a matéria “Crie o portfolio perfeito“.

revista w

Confira a matéria “Crie o portfolio perfeito” na Revista W deste mês!

» Siga-me no twitter e assine a newsletter para ler mais novidades!

criar site na FicaOn

A matéria, destaque na capa, toca em alguns pontos que já citei por aqui e outros que eu ainda pretendo citar, como o conteúdo de um portfolio. As entrevistas são bem legais, inspiradoras para quem está começando a montar seu portfolio web.

E não é que eu estou por lá também? Bom, minha participação mesmo está na coluna do Thiago Almeida, que já tinha tocado no assunto lá no Choco la Design, inclusive com meu portfolio como uma das referências: na parte de galeria de portfolios na Revista W, o meu é um dos citados. Olha que bacana:

galeria portfolios

Mãe, to na Revista W! (créditos)

E como foi a criação do meu portfolio?

Eu havia batido um papo com o Thiago recentemente sobre o assunto – portfolio – em três questões que ele havia me enviado. Confira abaixo (não saiu na revista, então pode ler que não tem spoiler!):

Qual foi o processo mais difícil no desenvolvimento do portfolio?

A meu ver são três processos: 1) Deixar intuitivo; 2) Deixar usual em tablets e até mesmo em smarphones; 3) Deixar a navegação com a menor quantidade de cliques possível, sem impactar com os dois processos anteriores e sem deixar as páginas sobrecarregadas de informação. E como meu site tem um blog embutido, os visitantes chegam até ele com dois objetivos distintos: ver meus trabalhos para analisar se vale a pena me contatar ou ler algum artigo sobre design, publicidade ou web sem sair do site com aquela sensação de ter perdido tempo.

Agradar à todos é impossível, mas o objetivo não é agradar ao usuário, e sim facilitar para o mesmo. Metaforicamente falando, um site é apenas uma daquelas cadeiras universitárias com uma pilha de conteúdo em cima – se o cara não consegue sentar e se sentir confortável naquela cadeira, isso VAI afetar a opinião dele sobre o conteúdo que ele está conferindo, porque ele estará de mau humor. É fato que muita gente que acha difícil navegar em um site foge dele assim como nós fugimos de cadeiras desconfortáveis, independente do conteúdo.

Em relação à responsividade, o que te leva a se preocupar com esse aspecto atualmente?

Justamente a questão da facilidade. Não é um saco ter de esperar para acessar um site quando chegar em casa, ou simplesmente ficar dando zoom na tela pra tocar um link? Sim, é um saco, e todo mundo já passou por isso, continua passando e vai continuar por aí. Se aquele usuário não consegue usar seu site na hora em que ele está com vontade, é uma oportunidade perdida – muito provavelmente ele vai desistir de acessá-lo novamente no desktop, por exemplo, ou simplesmente se esquecer. Não tem essa de “ah, mas eu sou bom, então se o cara quer ver meu site ele vai tentar até conseguir”, porque o que não falta são opções no mercado e na maioria das vezes um atendimento bacana fala mais alto do que trabalhos impecáveis.

Pretende criar uma versão exclusiva para smartphones e tablets do seu site?

Estou esboçando uma nova versão – mais adaptativa do que responsiva – para o site. Leva tempo, são muitos testes, muitos “e se…” e por aí vai. Não tem jeito, nós somos nossos piores clientes. Mas meu site faz meu lobby, então eu não quero que quem o acesse tenha dificuldades em achar o que estava procurando, assim como eu não quero que meus clientes tenham um serviço mal feito no final. Acima de tudo, um site precisa ser amigável para o usuário – eu não entendo por que as pessoas se preocupam tanto com um selo da W3C e na página de contato colocam um endereço de email por escrito ao invés de usarem um formulário de contato. Nunca vi um usuário comum abrir o código fonte de um site pra ver se estava tudo dentro das regras (ou se simplesmente o link que ele pretende clicar não está com target=”_blank”, e sim com um js que… tem a mesma função), mas já vi o mesmo usuário com preguiça de abrir o gmail pra mandar um email para aquele endereço ali na página.

Exemplo totalmente banal? Sim, bastante. Mas é a mais pura verdade, que me desculpem quem segue os padrões da W3C *à risca* – sim, tem muita coisa útil por lá, mas nem tudo é imprescindível e há muitos outros fatores mais importantes fora da W3C, como semântica e SEO. Mas isso é outra história, quem sabe para outro post. Aliás, do que estávamos falando mesmo?

Portfolio perfeito?

portfolio perfeito

Eu ainda estou longe de ter um portfolio perfeito, mas o objetivo é nunca parar de tentar!

Aproveitando as dicas da revista, aqui vão os posts que fiz até hoje sobre o assunto:

Revista W

A revista traz diversas dicas não só de portfolios, mas também de web design, front-end e back-end. Bóra criar o portfolio perfeito?

E muito obrigado pela citação, Thiago! :D