Design não tem que ser bonito

Considerando que "bonito" é uma opinião pessoal, você não irá agradar a todos. Design tem outros fatores e conceitos mais importantes que estética.

É isso mesmo, você não leu errado: Design não tem que ser bonito.

Mas calma, não estou dizendo que pode ser feio! Primeiro, vamos colocar um contexto nisso: muita gente nova (ou simplesmente inexperiente) na área, seja designer ou cliente, sempre pensa algo como “eu quero um site bem bonito”, ou “preciso de um flyer cheio de efeitos, bem moderno”. Essa linha de pensamento – deixar a estética em primeiro lugar, ou até mesmo só valorizar a estética em si – normalmente resulta em um site pesado e ruim de navegar, e um flyer de difícil leitura. E sabe o que normalmente acaba acontecendo? Fica bem feio! E tenho uma explicação pra isso.

Mas antes, vamos entender duas coisas: o que é design e o que é bonito?

» Siga-me no twitter e assine a newsletter para ler mais novidades!

O que é design?

design apple magic mouse

Um mouse sem botões e scroll, mas que tem todas essas funcionalidades e mais. O tal do “menos é mais”.

Design não é o quão bonito uma coisa é, mas qual sua utilidade, seu propósito etc.

Segundo o New Oxford American Dictionary:

Um plano ou desenho produzido para mostrar a aparência e função ou funcionamento de um edifício, vestuário, ou outro objeto antes de ele ser construído ou feito: “ele acabe de lançar seu design (projeto) para o novo museu”
A arte ou ação de conceber e produzir um plano ou desenho: “um bom design (forma) pode ajudar o leitor a compreender informações complicadas”

Segundo Jony Ive, da Apple:

Design é uma palavra que veio a significar tanto que também é uma palavra veio a significar nada.

Ok, vamos ficar com o significado do dicionário, a princípio.

Não há muito o que explicar. Design é um desenho, um projeto, uma forma – é difícil definir com uma palavra exata (ok, Jony, você venceu!) – com um propósito e/ou função em específico (senão é arte). Por exemplo, uma maçaneta: feia ou bonita, o design (formato) dela nos permite abrir uma porta. Você pode criar uma maçaneta linda, em formato de uma orquídea (ou com a foto da Scarlett Johansson), mas sua utilização será horrível – Ou seja, deixará de ser uma maçaneta e se transformará em um “enfeite” (ou em uma “obra de arte”).

Esse exemplo pode ser aplicado no web design, no design gráfico, na publicidade etc. Em tudo! Imagine uma escada em formato de ondas, com todos os degrais arredondados. Bem bonita, mas imagina quantas quedas isso renderia?

Para se aprofundar mais no assunto você pode ler a respeito de “forma segue a função“, ou “form follows function“. Essa coisa de que o design não é “nossa, que maravilhoso!” e sim “nossa, que prático!” (por exemplo) existe há um tempinho, não é (só) opinião minha.

O que é bonito?

capitao america liefeld

Os desenhos do Liefeld, pra mim, são bem feios – mas tem gente que idolatra. E aí?

Você já deve ter participado de incontáveis discussões onde uma parte das pessoas achava algo bonito e outra parte não. Só com esse exemplo a gente poderia parar por aí: bonito é algo relativo, é uma opinião de cada um. Isso vale pra qualquer coisa – pessoas, casas, cachorros, embalagens, salas de espera… tudo!

Lembra do que eu disse no início do post, do designer/cliente se esforçar tanto pra ter algo bonito e acabar tendo algo feio? Acredite, pra ele aquilo é bem bonito. Isso pela inexperiência, pois conforme você vai tendo repertório (tanto visual quanto teórico), sua percepção muda. O problema é quando você para no tempo e continua fazendo a coisa errada – isso vale tanto pro designer, que inconscientemente se acha um artista e que já sabe de tudo, quanto pro cliente, que ignora conceitos e regras de todos os tipos e acha que o site é pra ele e não para seus clientes.

O que você acha mais bonito, um garfo ou uma colher? Eu acho garfos bem bonitos, mas nem por isso os utilizo para tomar sopa. A partir do momento que você entende isso – a diferença do que você prefere em relação ao que é ideal –, você entende o que é design.

Design não tem que ser bonito…

design espremedor alho

Você pode encontrar vários espremedores de alho bem mais bonitos, mas nenhum tem a forma tão bem aproveitada como esse.

Você já ouviu falar em “UX” e “UI“? UX significa User eXperience (ou experiência do usuário), e UI significa User Interface (ou interface do usuário). Isso são dois – dos mais importantes – conceitos de design. Os dois termos merecem uma explicação detalhada, mas vamos deixar isso para outro post.

A experiência do usuário depende da interface (e de vários outros conceitos, mas a interface é uma das principais). Se pra acessar um formulário de contato no seu site o usuário precisar passar por uma introdução em flash (que demora pra carregar e pra terminar), clicar em “entrar no site”, encontrar a página de contato em um menu confuso ou em um link pequeno no rodapé, clicar pra abrir essa página e se deparar com apenas um endereço de email e não um formulário, precisando abrir o outlook (por exemplo) para mandar o email, acredite, a experiência dele foi péssima. E se chegou a esse ponto, aposto que você, designer ou cliente, não pensou nisso – não pensou no usuário.

É a mesma coisa de um flyer todo colorido e com vários efeitos: se o leitor precisa pegar o óculos de leitura (ou uma lupa – a questão aqui é estar ilegível, não o leitor ter problemas visuais), bater o olho em cada canto da folha, ser obrigado a ler tudo pra entender sobre o que é aquele flyer e aí sim encontrar o que ele procura, com dificuldade pois as cores estão dificultando o entendimento (por exemplo, texto azul em um fundo… azul), você ocasionou mais uma péssima experiência.

O design precisa ser pensado pra funcionar bem. Não importa sua função – levar uma informação, como um flyer; abrir uma porta, como uma maçaneta; ligar um andar ao outro, como uma escada… –, o design tem que ser planejado, tem que ser pensado. Não tem que ser bonito e só.

…mas nem por isso deve ser “feio”

design crocs

Aquele site que carrega rápido, é completo, em poucos cliques você acha o que procura… mas é feio de doer.

Existe uma coisa chamada “bom senso” que, ao contrário de “bonito/feio”, é algo “palpável”, todo mundo vai concordar.

Trabalhar bem as cores, imagens, tipografia, efeitos no geral e fazer um bom acabamento é imprescindível, sim. Quando digo que “design não tem que ser bonito”, não estou dizendo que se ele for feio e funcionar bem está ok – só quero dizer que a estética não pode ser pensada em primeiro lugar, porque muitas vezes isso contribui para um projeto ruim de usabilidade. Fazer um trabalho bonito é um dos nossos deveres, não o principal.

É claro, ainda assim é impossível agradar a todos. Mas se está tudo funcionando bem e o cliente está tendo retorno, sua missão foi cumprida!